Informe 334
INFORMES ANTERIORES

DA PARTÍCULA AO UNIVERSO MACROECONÔMICO
Um Olhar no Consumo dos Materiais Inseridos Dentro do Atual Cenário Econômico.



MÃOS DE OBRA ATADAS
Não só a Falta de Dinheiro Paralisa Obras



QUANDO TUDO MELHORAR...
Novos Cenários, Leituras, Desafios e Adaptação
DIGITAL ASPIRACIONAL

O Desejo Concreto de Comprar Materiais pela Internet
Como parte dos insights gerados pelo estudo mais recente da Plataforma, procuramos entender dentro do processo de uma obra residencial, dividido pelo tipo de obra já feita e a fazer, quais os canais utilizados para as compras passadas de materiais e quais seriam utilizados para as compras futuras, na continuidade desta mesma reforma/construção.

Vamos nos ater às compras relativas aos materiais de acabamento.

O estudo dividiu as obras em básico/estrutural, parte elétrica, parte hidráulica, pintura residencial e obras de acabamento, sendo que, dos 900 entrevistados, 62,9% responderam terem realizado obras de acabamento e, desta mesma base, 66,7% responderam terem ainda intenções de realizar novas obras de acabamento, na continuidade da reforma/construção.

Dos canais utilizados para as compras de materiais de acabamento, que, por exemplo, vão desde tomadas e acessórios para banheiro até louças sanitárias e porcelanato, entre tantas outras categorias, no resultado Brasil (há relevantes variações por praças), os dois principais canais utilizados foram: Lojas de Bairro, com 52,3%, seguidos pelos Home Centers/Lojas Grandes, por 50,8%. Na outra ponta, os E-commerces apareceram com 4,3%.

Considerando que não definimos o canal e-commerce como especializado em materiais de construção e nem consideramos o volume das compras (poderia ser apenas uma tomada, por exemplo), avançamos na questão sobre as intenções futuras de continuar comprando nesses canais.

Dos canais com maior intenção de compras futuras na continuidade da obra, também no resultado Brasil, os Home Centers/Lojas Grandes passam na frente das Lojas de Bairro, com 56,2% e 46,5% da amostra, respectivamente. Já os E-commerces crescem significativamente nessas intenções, passando para 10,4%, um crescimento de 141,8%.

Não é possível afirmar que tipo de material será comprado e nem mesmo se estas transações serão concretizadas, mas é possível inferir que os consumidores, quando estão realizando obras residenciais, no que concerne aos materiais de acabamento, consideram Home Centers/Lojas Grandes e E-commerces como canais aspiracionais.

No caso específico dos e-commerces, o mesmo comportamento se nota em todos os outros tipos de obras, ou seja, uma significativa intenção de compra maior do que a efetivada em passado recente.

Logo, apesar dos entraves e barreiras já conhecidas para desenvolvimento das vendas de materiais de construção pela internet, certamente temos a nosso favor um importante fator para alavancagem desse desenvolvimento: o desejo dos consumidores.

A Plataforma é um sistema de compartilhamento de inteligência de mercado, cogerida por Leroy Merlin, Eucatex, Pincéis Atlas e Votorantim Cimentos, empresas empenhadas em melhor entender o segmento, contribuindo para sua profissionalização e desenvolvimento.


Newton Guimarães

Inteligência de Mercado
/ GrupoRevenda
/ GrupoRevenda

newton.guimaraes@revenda.com.br

Cogestores da Plataforma