Informe 334
INFORMES ANTERIORES

LAR BELO LAR
A Beleza como Aspecto Motivacional para Realização de uma Obra



DIGITAL ASPIRACIONAL
O Desejo Concreto de Comprar Materiais pela Internet



DA PARTÍCULA AO UNIVERSO MACROECONÔMICO
Um Olhar no Consumo dos Materiais Inseridos Dentro do Atual Cenário Econômico.



CONSTÂNCIA
GERA SABER


O Comportamento de Consumo no Mercado nos Últimos Três Anos
Estamos iniciando um novo campo de pesquisa, referente aos hábitos e atitudes dos consumidores de materiais de construção que reformaram no último ano. Esses dados serão parametrizados com dados colhidos nas primeiras ondas de 2014 e 2015, para efeito de monitoramento das evoluções comportamentais e identificações de tendências de mercado.

O que esta coleta, tratamento estatístico, parametrização de dados e monitoramento poderá nos trazer de leituras e conhecimento?

Vamos aventar apenas três hipóteses, que, justamente por ainda estarmos tratando os dados, não serão acompanhadas, nesse artigo, por comparativos numéricos.

Sabemos que dos totais das amostras dos entrevistados, que reformaram um imóvel em 2014 e 2015, quantos ampliaram um cômodo - logo, por esse parâmetro, consideramos serem estas reformas de maiores proporções - e quantos aproveitaram esse momento para também decorar os lares.

Considerando que em 2014 estávamos no princípio da atual crise econômica, que em 2015 estávamos em seu auge e que nesse momento vislumbramos a recuperação, como esses cenários econômicos afetaram as variáveis acima? Ou há um comportamento padrão para quem reforma independentemente do cenário macroeconômico? Ou...

Sabemos que dos totais das amostras das pessoas que reformaram um imóvel em 2014 e 2015, quais os tempos de planejamento e quais os meios mais consultados durante essas fases em cada ano, no que diz respeito às pesquisas de informações técnicas e comparações de características e preços dos produtos.

Considerando a notória expansão do uso da internet no segmento, ano após ano, como isso está afetando o tempo de planejamento da obra? E os meios digitais e físicos, o que ganhou relevância, o que perdeu e o que queriam e querem esses consumidores de ambos os meios? Mudaram as expectativas? Ou...

Sabemos que dos totais das amostras das pessoas que reformaram um imóvel em 2014 e 2015, quais os graus de influência dos pedreiros em cada ano, para escolha dos canais de compra e produtos e quais são esses canais e produtos.

Considerando as proposições expostas acima, o momento econômico; e a oscilação entre escassez e abundância de mão de obra; e a ascendência da internet; e o empoderamento deste consumidor; como isso afetou o grau de influência desses executores? E as indicações de canais e produtos? Ou...

Assim como painéis de estudos podem gerar solidez ao conhecimento - não é à toa que a efemeridade é líquida - essas poucas hipóteses acima, oriundas de uma primeira leitura, demandam discussões e debates, que melhor traduzam os diversos “ous”, para se transformarem em conhecimento, sabedoria e nas mãos de empresas certas, planos de ação.

O Estudo Hábitos e Atitudes dos Consumidores com os Canais, Fornecedores e demais Agentes Influenciadores 2016 – 3ª onda tem uma amostra de 900 respondentes, das classes A, B e C, divididos em doze praças e três faixas etárias, e está previsto para ser entregue no dia 20 de setembro próximo, num software que permite o cruzamento de todas as variáveis para monitoramento das evoluções comportamentais dos últimos três anos.

A Plataforma é um sistema de compartilhamento de inteligência de mercado, cogerida por Leroy Merlin, Eucatex, Pincéis Atlas e Votorantim Cimentos, empresas empenhadas em melhor entender o segmento, contribuindo para sua profissionalização e desenvolvimento.


Newton Guimarães

Inteligência de Mercado
/ GrupoRevenda
/ GrupoRevenda

newton.guimaraes@revenda.com.br

Cogestores da Plataforma